Veeam Backup – Escolhendo a política ideal para o seu ambiente

Forever Forward Incremental  

O Veeam Backup & Replication oferece diferentes formas de se realizar um backup. Todas as políticas são nomeadas e devem ser utilizadas em casos específicos, de acordo com a necessidade. Neste post, você poderá compreender mais sobre a política Forever Forward Incremental, com exemplos que exploram suas vantagens e desvantagens.

O que é?

É um método de backup em que a cadeia é composta por um único arquivo full e os arquivos de backup subsequentes serão sempre incrementais.

Obs.: caso exista a necessidade da geração de um novo arquivo full, o mesmo deverá ser feito de forma manual.

Vantagens:

Na maioria dos casos, essa política é aplicável em ambientes cujo o repositório de backup não ofereça flexibilidade de crescimento, dando a garantia de que os novos arquivos de backups gerados, serão sempre incrementais, que por sua vez ocupam um espaço menor em comparação ao arquivo full.

Desvantagens:

Uma das principais desvantagens de se ter somente um arquivo full, é o risco eminente de que toda a cadeia de backup possa ser comprometida, ou seja, caso o arquivo full seja corrompido os arquivos incrementais sequentes se tornarão inutilizáveis.

Outro ponto de desvantagem que podemos citar nesse post: imagine que em um domingo após uma queda de energia, você precise realizar um restore do dia anterior (sábado). Ao verificar a cadeia de backup, aparentemente está tudo dentro dos conformes:

Porém na hora de restaurar, recebe um erro e descobre que o ponto de quinta-feira foi corrompido devido a queda de energia.

Neste cenário, além do ponto de quinta-feira, os pontos subsequentes também se tornam inúteis. Sendo assim, é possível restaurar somente os pontos de segunda a quarta-feira.

Como funciona?

Após as configurações do job, utilizando o método Forever Forward Incremental, seus backups terão o seguinte comportamento:

Na primeira execução, será criado um arquivo na extensão VBK (backup full). Nas execuções seguintes, o Veeam fará backup somente dos blocos alterados e os compactará em um arquivo com a extensão VIB (backup incremental). Isso é feito graças ao CBT (Changed Block Tracking).

Logo abaixo, podemos ver um exemplo do job após a política de backup ser preenchida completamente (em nosso exemplo, utilizando quatro pontos de retenção):

E o que acontece agora?

Na primeira execução do job, após todos os quatro pontos serem preenchidos, será criado mais um ponto de restauração, resultando em cinco pontos – mas isso ultrapassa a política definida! – Ok, mas vamos com calma. Após a criação deste ponto, o job realizará mais uma tarefa a cada execução. Esta tarefa consiste em fazer o merge do primeiro arquivo incremental (VIB) com o arquivo full (VBK).

Exemplo:

Como configurar?

Após abrir a console, vá até o o canto superior esquerdo e clique em “Backup Job”. O próximo passo é clicar no tipo de backup que deseja executar (neste caso configuraremos backups de máquinas virtuais).

Após isso, será aberta a janela de configuração. A primeira etapa consiste em dar uma descrição ao job. A orientação é que você dê um nome que faça jus ao tipo de máquina que você está protegendo.

O próximo passo é adicionar a(s) máquina(s) ao job. Basta em clicar no botão “Add” no canto superior direito da janela de configuração e encontrar o(s) objeto(s) que deseja adicionar.

Após adicionar, podemos prosseguir.

E é aqui o principal ponto do processo. Neste exemplo, vamos configurar somente quatro pontos de retenção. Para fazer o controle dos pontos basta aumentar ou diminuir no campo “Retention policy”.

Feito isso, clique em “Advanced e preste bastante atenção nesta etapa, pois é neste passo que você poderá configurar os diferentes métodos de backup.

Para esta configuração básica, basta assegurar-se que a opção Incremental esteja habilitada e que as opções Active Full e Syntetic Full estejam desmarcadas. Nas versões mais recentes do software, esta é uma configuração padrão. Após isso, basta concluir o processo de acordo com suas necessidades de agendamento ou aplicações.

Conclusão:

Agora que você já conhece esse método de backup, sugerimos que acompanhe os próximos posts da série “Veeam Backup: Escolhendo a política de backup ideal para o seu ambiente” e decidir qual se aplica melhor à sua empresa.