Segurança na Web

O nosso comportamento virtual é tão importante quanto nossos documentos pessoais, senhas e cartões de bancos. O que pesquisamos, curtimos e compartilhamos diz muito sobre o nosso perfil, por isso, é necessário ter atenção quanto ao que fazemos nos sites, nos aplicativos e nas redes sociais.

Segundo o documentário “O dilema das redes,2020”, todos os produtos na ‘internet’ são criados para manter os indivíduos conectados o máximo de tempo possível. Contudo, não é possível controlar a veracidade das informações compartilhadas, dado que elas se replicam automaticamente.

Abaixo, listamos algumas dicas para ajudar a evitar a manipulação das redes e manter a sua segurança na ‘web’. Continue lendo o artigo.

Políticas de privacidade

Alguns aplicativos como o Facebook, podem manter os dados pessoais na base durante muito tempo após a exclusão da conta. Neste caso, os motivos são: se o usuário estiver sob investigação governamental ou se ele cometer violação de dados na plataforma.

É muito importante ler as políticas de privacidade das redes sociais e compará-las com seus valores e se ambos concordam.

Permissões em aplicativos

Da mesma forma que nas políticas de privacidade, as permissões dos aplicativos precisam ser averiguadas. Antes de instalar o ‘app’, leia os comentários, avaliações e procure baixar aquele que seja o mais confiável possível.

As configurações de acesso à câmera, áudio, dados pessoais, endereço e localização em tempo real, podem deixar muitas informações à disposição de aplicativos parceiros e até mesmo maliciosos, portanto é bom ter esse controle do que é compartilhado.

Faça sempre o ‘backup’ de atualização dos aplicativos e mantenha os termos de segurança e antivírus sempre em dia.

Geolocalização

Precisou sair de casa e teve que ativar o GPS? Esqueceu sua localização ligada e quando abriu o celular, viu alguma pergunta do tipo: o que você achou de determinado lugar?

Algumas situações são necessárias por segurança, tais como, se você deseja compartilhar sua viagem em tempo real com um conhecido ou se você nunca fez o trajeto antes.

Nos casos em que remete à invasão de privacidade e você se sente rastreado todo tempo, há algumas maneiras de reverter esta situação:

  • desative sua localização assim que chegar ao destino;
  • desative o serviço de ‘timeline’ do Google Maps;
  • exclua comentários públicos dos locais que você visitou ou fez compras;

Interações nas redes sociais

Notícias, fotos e vídeos precisam ser analisados antes de compartilhados, visto que, ao gerar engajamento, as interações podem se tornar virais. Antes de repostar algo, faça para si mesmo as seguintes perguntas:

  • vai acrescentar valor ou contribuir para o conhecimento de alguém?
  • contém a fonte real e confiável dos dados?
  • qual a probabilidade de ser uma mentira?
  • vai refletir negativamente ou causar desconforto em alguém?
  • vai causar descrédito à minha imagem pessoal ou à de terceiros?

O que postamos nas redes sociais, nada mais é do que a materialização de quem somos verdadeiramente. Independente que seja uma brincadeira, realidade ou ficção, a essência e o caráter ficam contidos em uma imagem, texto ou vídeo.

Portanto, ao espalhar uma ‘fake news’, uma pessoa ou um grupo podem contribuir para uma guerra, rebeliões, ‘bullying’ e causar uma verdadeira rede de ódio e teorias de conspiração.

Mercado de dados

Ao falar sobre o cuidado com interações negativas, não podemos deixar de falar sobre o mercado de dados envolvido nesse esquema. Se informações falsas geram engajamento, significa que estão rendendo lucro aos investidores astuciosos.

As redes sociais são ótimas alternativas para network, B2B, interação com pessoas de outras culturas, fazer amizades, conectar com parentes e amigos distantes, ler um livro ‘online’, escutar um ‘podcast’, enfim, não há como listar os benefícios.

Logo, quanto mais se espalha uma mentira, mais pessoas são manipuladas para duvidar da verdade. Consequentemente, aumenta o capital e o poder do mercado irresponsável e destrutivo de dados.

Para evitar essa bolha de falsidade, limpe seu histórico de pesquisa, apague postagens de impressão duvidosa, busque outras fontes de notícias, certifique-se de que aquela verdade não seja apenas pessoal, duvide das fontes e leia bastante. Não caia na bobeira de propagar lixo virtual!

Navegar na ‘web’ com responsabilidade

Portanto, sendo o ser humano a única fonte de capital para a ‘internet’ das coisas, o mesmo se torna responsável pelos cliques e sites de buscas, tal como compartilhamento de informações.

Se você gostou desse post, compartilhe nas redes sociais! Acompanhe mais novidades em nosso LinkedIn!